Por Thaiane Vizeu
18 de outubro de 2021

Em Agosto de 2021, o Google anunciou uma nova atualização. A mudança gerou impacto nos títulos exibidos nas SERPs (páginas de pesquisa). Neste mês de Outubro, a empresa publicou as recomendações de melhores práticas.

Para você entender melhor o assunto, vamos explicar sobre o Update que ocorreu em Agosto, quais são as recomendações e quais serão os impactos para SEO.

Update: como o Google gera títulos de páginas da Web?

Antes de falarmos sobre o que mudou, vamos citar o que era feito anteriormente. Até Julho, os títulos podiam variar nas SERPs conforme a pesquisa feita. Isso não irá mais existir. O intuito agora é gerar títulos que funcionem para descrever completamente o conteúdo da página, independentemente de qual seja a busca.

Apesar do Google já considerar muito mais que o HTML para geração de títulos há mais de 10 anos, a atualização busca trazer textos mais descritivos e informativos ao usuário.

Além dos títulos principais da página, geralmente identificados pela tag <H1>, o Google também pode escolher como Title outras tags, trechos de conteúdo da página ou até mesmo texto de links que levam àquela URL.

Mas, calma! Em 87% dos casos, os robôs ainda irão considerar o título destacado entre a tag <title> nos resultados de busca. Por que não usar sempre? Porque elas podem ser repetitivas, muito grandes ou otimizadas demais, sem entregar uma descrição decente ao usuário. Vamos falar mais sobre isso, a seguir.

Vemos estatísticas do de sucesso da Trii com o SEO.

Como controlar seus títulos nos resultados?

Como falado anteriormente, o Google pode extrair o título de diversas fontes diferentes. Apesar disso, você ainda pode indicar para ele qual a sua preferência, seguindo as melhores práticas para criar um <title> realmente descritivo. Saiba mais!

Melhores práticas

  • Cada página do seu site deve ter um título especificado no elemento <title>.
  • O texto do título deve ser descritivo e conciso. O ideal é evitar textos vagos, como “Home” na página principal ou “Serviço”, para uma página de serviços. Além disso, não pode ser muito longo, pois irá aparecer cortado na SERP.
  • Otimização demais, não ajuda! Evitar o uso excessivo de palavra-chave também é um diferencial. Usar a palavra-chave no elemento <title> continua sendo indicado. Entretanto, não é válido que um título seja composto apenas por isso.
  • O Google também indica que sejam evitados textos repetidos ou clichês. Você não pode ter o mesmo título para várias páginas. A solução para isso seria atualização do <title>. Outra opção é usar a meta descrição para descrever o real conteúdo daquela página.
  • Marque seus títulos. O elemento <title> da página Inicial é um bom lugar para incluir informações adicionais sobre o site. Por exemplo:

<title> Trii: Agência de Marketing Digital no Rio de Janeiro e São Paulo </title>

Mas exibir um texto assim em cada uma das páginas pode se tornar repetitivo. Nesse caso, você pode incluir o nome do site no começo ou fim do elemento <title>, separado por um delimitador.

<title> Agência de SEO e Performance – Agência Trii </title>

  • Cuidado ao usar o robots.txt no site. Ele pode impedir que o Google rastreie uma página, mas não que ela seja indexada. Se o link de uma página que não está no robots.txt for descoberto em outro site, o Google pode indexá-la com o título que achar prudente. Por isso, sempre que quiser impedir uma página de ser indexada, ela deve ser marcada como noindex.

O que evitar?

A seguir, você terá acesso às práticas que deve evitar com exemplos hipotéticos do dia a dia. Veja!

1) Títulos incompletos

Exemplo: |Nome do site

Pode acontecer quando o site gera modelos automáticos de título. O resumo da página, por algum problema, não é gerado. Com isso, só aparece o nome do site como elemento <title>.

2) Títulos ultrapassados

São títulos geralmente usados quando uma mesma página é utilizada para divulgar informações recorrentes. Ou seja, o title não reflete as informações mais recentes.

Exemplo:
Política de Privacidade 2020 – Nome da Empresa

O Google irá entender que esta página foi atualizada e refletir o título segundo o ano em questão. Ou seja, ela irá aparecer nas SERPs como:
Política de Privacidade 2021 – Nome da Empresa

3) Títulos incorretos

É possível que o título não seja um reflexo preciso do conteúdo da página. Em uma página de produtos, incorretamente, o title pode ser uma enumeração de itens.

Exemplo:
Barbies, bonecas grandes, bonecas de pano – Nome do Site

Automaticamente, se o Google entender que esse título não mostra com precisão o conteúdo, ele pode ser modificado para que o usuário saiba o que irá encontrar:
Bonecas diversas – Nome do site

4) Títulos padronizados

São encontrados, geralmente, quando a maioria das páginas do site seguem um mesmo padrão. Aparecem muito em subconjuntos de página, como blogs. Pense num blog com 5 páginas e todas elas com o title Blog – Nome do site.

O Google irá detectar o número de páginas e gerar títulos maiores e informativos ao usuário. Como:
Página 1 – Blog – Nome do Site
Página 2 – Blog – Nome do Site

Vemos o informativo

Qual o impacto da mudança em SEO?

Para quem já segue os conceitos de SEO, com títulos bem escritos e seguindo os padrões estabelecidos acima, o impacto será mínimo. O Google está buscando valorizar cada vez mais criadores de conteúdo que produzem títulos otimizados e alinhados às recomendações. Mas, nos 13% de casos em que o Google está sugerindo novos títulos na SERP, o impacto pode afetar diretamente o tráfego orgânico do site.

Quer evitar que isso aconteça? Conte com o time de SEO da Trii. Além de ter 80% dos clientes no TOP 3 do Google, buscamos nos manter por dentro de todas as atualizações e entregar os melhores resultados para você. Fale com um de nossos consultores e receba sua proposta!

Fontes: